segunda-feira, 10 de maio de 2010

ALICE NO PAÍS DAS MARAVILHAS



Finalmente minha ansiedade foi controlada e deu lugar ao êxtase.
Que beleza é assistir um Tim Burton; obra de arte mesmo, fico extasiada.
Sou uma pessoa que raciocina muito , mas lentamente. Tenho até dificuldade para entender completamente uma obra. Mas , claro sempre tiro meu proveito, e aí é que está a beleza da Arte, nas tantas possibilidades.
Por exemplo, Drummond declarou que num dos vestibulares da USP havia uma questão sobre uma de suas obras que nem ele mesmo saberia responder.
Lamentei não ter lido a obra de Lewis Carroll antes de assitir ao filme, afinal, Alice de Tim é uma continuação (e aqui fica minha dica, leia Alice antes de assistí-lo e na versão 3D sente-se nas poltronas da frente, muito mais real).
Porém, meu propósito é falar de outra menina neste post, o nome dela é Thamires Pestana (tem Pest por apelido,e logo direi o porquê), tem 11 anos a menos que eu e trabalhamos na mesma empresa.
Thamires é muito inteligente, quase experiente, como se tivesse vivido 40 e não 20 anos, e é super sincera. Daquelas sem papas na língua, que se revolta com certos assuntos, ou simplesmente quer mostrar sua opnião e por isso expõe de maneira explícita suas idéias. A torto e a direito!
Eu , talvez não demonstre como ela, minha experiência adquirida em dias a mais, porém, por gostar da garota, fui fazer uso do que viví e dizer a ela que quando formos dar nossa opinião, de preferência, que seja solicitada por alguém.
Mas, ela me respondeu que não concordava comigo, e que dizia o que pensava, porque quer que as pessoas, reflitam e sejam melhores.
Nossa cultura brasileira é de omissão de opniões sinceras, quando sua amiga pergunta se o vestido que pagou tão caro não é vulgar, dizemos aquele murcho : É bonitoooo...
A beleza de Alice está em sua fabulosa mensagem, que às vezes precisamos enfrentar certas situções para descobrirmos nossa força e realmente quem somos.
A Alice de Tim Burton volta do País das Maravilhas Thamires Pestana, decidida e super sincera.
Algumas, pessoas podem, como eu fiz, questionar o jeito, a postura do outro, mas a sinceridade da Thamires é como a grande cabeça da Rainha Vermelha,não surgiu por feitiçaria ou encantamento.
Pode até causar estranhamento, mas faz parte da incrívelmente bela diversidade humana.
Outra lição de Tim.

2 comentários:

Thamires Pestana disse...

Bom dia,

Começo agradecendo pelo enorme carinho e a sinceridade que eu tanto adoro, que poucas pessoas tem que a Tayana descreveu ao meu respeito. Também quero parabenizá-la pela sua escrita que é bem expressa e bonita, assim como ela já havia me dito que a elogiaram certa vez por isso e não estavam mentindo.

Tay, muito obrigada pela sua generosidade e sua grande interpretação pela obra de Tim Burton, nesta " nova" versão de Alice.

perminio.neto disse...

Amor,

Seu blog além de ser lindo é muito criativo, as pessoas que tem acesso a essa cultura e informação que você proporciona tem que ser gratos a você.
Tenho muito orgulho de ser seu esposo e da inteligência que você carrega.
Sucesso no seu blog.

Parabêns, Te AmO

NETO

Postar um comentário